Nossas prioridades
  • Enviar
  • Imprimir
  • Favoritos
Mudanças Climáticas

A Lafarge assumiu o compromisso de reduzir mundialmente suas emissões mundiais de dióxido de carbono (CO2) em 20% no período de 1990-2010, implementar indicadores ambientais e elaborar um plano de reabilitação para suas jazidas. A Lafarge Brasil está fazendo a sua parte para atingir este objetivo.

Redução de emissões de CO2

A Lafarge tem consciência do desafio que as mudanças climáticas representam para todo o planeta e foi o primeiro grupo industrial no setor de materiais de construção a estabelecer publicamente metas para a redução de emissões de CO2. Em 2001, a empresa foi uma das primeiras do CAC 40 a publicar um relatório completo de seus esforços de desenvolvimento sustentável. Desde 2007, o Grupo implementou um programa de Ambições Sustentáveis que define as suas prioridades e compromissos mensuráveis.

 

Em 2001, a empresa se comprometeu com um ambicioso objetivo firmando uma pioneira parceria com a WWF.  O acordo foi renovado em 2009 por mais 4 anos. Em 2010, os objetivos da Lafarge eram:

  • reduzir em 10% as emissões brutas nos países industrializados
  • reduzir em 20% as emissões líquidas por tonelada de cimento produzida mundialmente

Estas metas vão além dos objetivos definidos pelo Protocolo de Kyoto, que estabelece que os países industrializados devem reduzir suas emissões em 5,2% comparado aos níveis de 1990.

 

A meta de 20% estabelecida com a WWF foi atingida em 2009 e ultrapassada em 2010, com uma redução de 21,7%.

Diferença entre emissões brutas e emissões líquidas de CO2

As emissões líquidas equivalem às emissões brutas totais menos as emissões relativas à queima de biomassa e resíduos.

CO2 e o cimento

 

Por que o processo de produção do cimento produz CO2?

O processo produtivo do cimento é a fonte de geração de 5% das emissões globais de dióxido de carbono (CO2). A indústria do cimento é uma produtora natural de CO2:

  • 60% das emissões são geradas no processo de transformação das matérias primas em altas temperaturas (descarbonatação do calcário),
  • 40% são resultantes da combustão, necessária para aquecer os fornos de cimento a uma temperatura de 1500º C.

Ecologia Industrial

A ecologia industrial é uma nova maneira de integrar os recursos ambientais (como energia, matérias-primas e recursos naturais). Inspirada nos ciclos de produção, destruição e reciclagem dos ecosistemas naturais, a ecologia industrial privilegia a utilização de resíduos de um processo industrial como matéria-prima ou combustível em outro.

Ambições Sustentáveis

Em 2012, a empresa ampliou o seu programa e estabeleceu 34 novas ambições, visando criar valor para todos os grupos de interesse - acionistas, clientes, empregados e comunidades locais do entorno das unidades onde mantém as suas operações. Estas ambições definem os compromissos da Lafarge para o futuro e a sua contribuição para uma sociedade sustentável.

 

As 34 ambições da Lafarge incluem nove metas principais a serem alcançadas até 2020:

 

1. Reduzir em 33% as emissões de CO2 por tonelada de cimento produzido comparado aos níveis de 1990;

2. Usar 50% de combustíveis não fósseis nas fábricas de cimento até 2020 (incluindo biomassa);

3. Ter 20% do concreto contendo materiais reutilizados e reciclados;

4. Chegar a zero fatalidade e praticamente eliminar os acidentes com perda de tempo com nossos empregados e contratados;

5. Ter 35% dos cargos de chefia ocupados por mulheres;

6. Dedicar 1 milhão de horas de trabalho voluntário por ano para projetos locais selecionados;

7. Desenvolver um plano para geração de empregos locais em 75% dos países onde a empresa está presente;

8. Facilitar o acesso a moradias sustentáveis e a preços acessíveis para 2 milhões de pessoas;

9. Gerar faturamento de € 3 bilhões por ano em novas soluções, produtos e serviços sustentáveis.

 

Combatendo os gases de efeito estufa localmente

No Brasil, a Lafarge vem mantendo o índice de redução de emissão de CO2 de suas unidades alinhado aos compromissos mundiais do Grupo. Para isso, a empresa investe continuamente no aumento do uso de biomassas como combustíveis, na adição de escória na fabricação de cimento, na melhoria da eficiência energética e no coprocessamento, técnica que permite o uso de resíduos industriais, como papéis, borrachas, resíduos oleosos e pneus usados, em substituição aos combustíveis e matérias-primas usadas na fabricação de cimento.

 

Com a busca contínua da eficiência energética e a otimização dos processos industrias, hoje mais de 10% do total de energia consumida pelo o Grupo Lafarge em todo o mundo vem de combustíveis alternativos. No Brasil, este percentual beira os 13%.

Buscando incentivar o uso da tecnologia de coprocessamento, a Lafarge criou, em parceria com o Grupo Cimpor, a empresa Eco-processa, uma joint-venture especializada no gerenciamento e destruição ecologicamente correta de resíduos.

 

A Lafarge no Brasil é pioneira no coprocessamento de resíduo urbano e no reaproveitamento de resíduos de gesso da construção civil na produção de cimento. Essas ações têm permitido a preservação de recursos naturais e, ao mesmo tempo, evitam que os resíduos se tornem passivos ambientais e sejam depositados em aterros sanitários.

 

A unidade da Lafarge em Cantagalo foi a primeira do Grupo no Brasil a utilizar o lixo urbano como fonte de energia para fabricação de cimento. Após coleta seletiva do lixo do município de Cantagalo, os resíduos sólidos inertes (que não podem ser reciclados, após a parte orgânica ser destinada à compostagem), são triturados e utilizados como combustível no forno de cimento.

  • Enviar
  • Imprimir
  • Favoritos

Sustentabilidade da construção

Incentivo a obras ecologicamente corretas

Os desafios da construção sustentável envolvem todos os que atuam no setor de construção civil. A preocupação que a Lafarge tem com o meio ambiente se reflete no apoio a estudos e pesquisas que possibilitem a criação de métodos construtivos sustentáveis.

LafargeHolcim. Cement, aggregates, Concrete.